Nós temos 101 visitantes e 3 membros online
selo_grings_site
Linhaça e Diabete

               linhaaO que é o diabete?

A glicose obtida da digestão dos carboidratos dos alimentos, assim como o oxigênio, é transportada pela corrente sanguínea para que todas as células do organismo possam obter energia. Se a insulina está em falta ou não age como deveria, o açúcar que seria captado pelas células fica sobrando na circulação, acumulando-se cada vez mais. Esse excesso passa a ser tóxico para o organismo. Devido a isso, a longo prazo, o diabete descontrolado provoca prejuízos em diversos órgãos – rins, olhos, cérebro, coração.

                Tipo de Diabete:

                Diabete Tipo 1

É aquele que costuma aparecer na infância ou na adolescência. Por razões ainda não totalmente elucidadas, o próprio sistema imunológico do indivíduo passa a atacar as células produtoras de insulina no pâncreas e, então, destruídas, elas simplesmente param de produzir esse hormônio. O tratamento, além dos cuidados alimentares, consiste em repor a insulina diariamente.

                Diabete Tipo 2

Ele representa a maioria dos casos e tem tudo a ver com obesidade – oito em cada dez diabéticos do tipo 2 estão acima do peso. A doença tem múltiplas causas, como os aspectos genéticos, a obesidade, o sedentarismo a etnia e outros. Entre esses, destacamos o envolvimento da dieta, pois o consumo excessivo de alimentos, especialmente daqueles que geram muita glicose (pães, massas, tubérculos, bebidas alcoólicas e doces), sobrecarregaria o pâncreas, favorecendo a instalação do diabete tipo 2. Aí a produção de insulina se tornaria insuficiente. Antes mesmo do diabete tipo 2 se manifestar, no entanto, surge uma condição conhecida como resistência a insulina – o primeiro sinal de que o hormônio não está cumprindo bem o seu papel.

                Diabete gestacional

É quando o problema surge durante a gravidez, geralmente no segundo ou terceiro trimestre, em mulheres que nunca tiveram concentrações elevadas de glicose no sangue. Na gestação, o excesso de açúcar na circulação da mãe favorece o ganho de peso excessivo dos bebês. Sem contar que aumenta o risco de a criança desenvolver o diabete tipo 2 no futuro.

                Como a linhaça age no Diabete?

Entre os nutrientes que contribuem para evitar os picos de glicose merecem destaque as fibras. Elas tornam o processo digestivo mais lento. Para quem enfrenta o diabete isso é uma vantagem pois, diminuir a velocidade com que o açúcar será liberado na circulação é tudo que o diabético precisa.

As fibras insolúveis agem acelerando o trânsito intestinal e diminuindo a absorção de glicose. Por sua vez, as fibras solúveis formam géis que tornam o bolo alimentar mais viscoso, dificultando a passagem da glicose através da mucosa intestinal.  Desse modo, as fibras solúveis e insolúveis contribuem para a redução da absorção desse açúcar o intestino. É por isso que os alimentos ricos nesses dois componentes, como a linhaça, tem o que chamamos de baixo índice glicêmico. Eles evitam o aumento rápido nas concentrações de glicose e, assim, exigem menos trabalho do pâncreas.

 Ainda existem, além das fibras, outras substâncias na semente de linhaça que auxiliam no controle da doença.

                Ômega 3

Esse ácido graxo tem sido associado a melhora da resistência à insulina. Um dos mecanismos por trás desse benefício seria provocar o aumento das concentrações de outro hormônio, chamado adiponectina. Quanto maiores as concentrações dessa substância, maior é a sensibilidade à insulina do indivíduo.

 

                Lignanas

Está relacionada ao bloqueio de processos inflamatórios, que também tem sua parcela de culpa no desenvolvimento do diabete. Um estudo realizado na China, demonstrou que suplementá-la na dieta reduziu as concentrações de proteína C-reativa e da interleucina 6, substâncias que desencadeiam as inflamações e estão ligadas ao aparecimento de doenças cardiovasculares.

                Minerais

                Podem-se destacar três componentes da linhaça:

                Cobre: os radicais livres, aquelas moléculas que degradam as células do organismo, são coadjuvantes no desenvolvimento de toda sorte de doenças. O diabete e suas complicações, claro, não ficam de fora. Para combatê-los, nosso corpo conta com enzimas antioxidantes como a superóxido dismutase que depende do cobre para agir.

                Zinco: a deficiência desse micronutriente, que aparece na composição da linhaça, está associado a menor secreção de insulina pelo pâncreas e ao comprometimento da ação desse hormônio. Além disso, semelhante ao cobre, o zinco também é necessário para a atividade da enzima superóxido dismutase, que combate radicais livres.

                Magnésio: Esse é outro ingrediente do grupo dos minerais que aumenta a atividade do receptor de insulina nas células.

 

                Fonte: Livro A Dieta da Linhaça

 
Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin Share to Myspace Share to Delicious Share to Google