gringsalimentos
 
‹ voltar

Movimento Slow: saiba o que é e como aderir

30/05/2017

por Ana Paula de Araujo 

O Movimento Slow questiona o ritmo de vida frenético que vivemos hoje em dia. Saiba como desacelerar melhora sua saúde, beleza, bem-estar e até sexo

Texto Vand Vieira e Giuliana Cury | Adaptação Ana Araujo

 

Desacelerar a vida melhora a saúde, bem-estar e até sexo. Entregue-se ao Movimento Slow!

Foto: Shutterstock

Na contramão de um ritmo de vida frenético, há quem aposte em desacelerar a rotina em busca do bem-estar. A tendência, a propósito, já ganhou até nome: Movimento Slow. “Essa filosofia aponta para uma reflexão necessária sobre a cultura do consumo excessivo e a necessidade e os benefícios de fazer tudo em seu tempo e com mais foco”, comenta Patrícia Bader, psicóloga do Hospital e Maternidade São Luiz, de São Paulo. Conheça as principais vertentes:

Slow work

O foco é trabalhar menos para trabalhar mais. Apesar de soar contraditório, faz sentido se você pensar que passar horas a fio trancafiada no escritório após o expediente ou levar tarefas para casa todos os dias são alguns dos principais gatilhos para crises de estresseansiedadeinsônia e depressão. Aí, já viu, né? Bloqueio criativo constante e, em casos mais graves, afastamento médico.

Slow travel

Nem pense em acordar supercedo para sair batendo ponto em todos os cartões-postais das cidades que for visitar. “Estar descansada e aproveitar a viagem sem correria é essencial para que o cérebro registre e armazene esses momentos felizes, já que isso exige uma dose extra de atenção e tempo para criar vínculos com o lugar”, acrescenta Patrícia Bader. Então, seja qual for seu próximo destino, reserve uns dias a mais ou crie uma lista de prioridades.

Slow sex

É isso mesmo que você está pensando. Em vez de focar apenas em “chegar lá”, curta cada beijo, toque, respiração ofegante... Acredite, as preliminares ficam ainda mais excitantes quando não têm hora para acabar e prestamos atenção em todos os nossos sentidos. No clímax, você estará extremamente conectada ao parceiro e terá a certeza de que foi muito bom para os dois.

Slow food

Aqui, a ideia é (re)descobrir o prazer de comer. Fundado por Carlo Petrini, em 1986, em alusão ao crescimento do fast-food, tornou-se uma associação internacional sem fins lucrativos três anos depois. Atualmente, conta com mais de 100 mil membros, escritórios em países como Itália, Alemanha, Suíça, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido e apoiadores em cerca de 150 países. No cardápio? Somente alimentos bons (saudáveis e saborosos) e produzidos de modo limpo e justo (com baixo impacto ambiental e respeitando quem produz, processa e distribui).

Slow city

Sabe o que Tiradentes (MG) e Antônio Prado (RS) têm em comum? Foram os primeiros municípios brasileiros a receberem o título de slow city, conquistado após uma análise que envolve o tamanho da população local, que deve ser inferior a 50 mil habitantes, e outros 54 requisitos, como o incentivo à produção artesanal e o controle da emissão de gases nocivos ao meio ambiente.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 326